It – A Coisa [2017]

Título: It – A Coisa (It) | Lançamento: Setembro/2017 | Produtora(s): Lin Pictures e Vertigo Entertainment | Distribuidora(s): Warner Bros. e New Line Cinema | Diretor: Andrés Muschietti | Elenco principal: Bill Skarsgård, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard, Jack Dylan Grazer, Sophia Lillis, Jeremy Ray Taylor, Wyatt Oleff e Chosen Jacobs

 

AdoroCinema // Rotten Tomatoes

 

Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado “Losers Club” – o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do “Losers Club” acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.

 

O filme conta sobre algo que está aterrorizando os moradores de Derry. Suas crianças estão sumindo misteriosamente, chamando a atenção principalmente de um grupo carinhosamente chamado de “Perdedores”. O grupo é composto inicialmente por Bill, Richie, Eddie e Stan, mas logos temos as maravilhosas adesões de Bevvie, Ben e Mike. Porque eles se envolvem? O irmãozinho de Bill, George, é um dos desaparecidos. Aos poucos, cada um dos membros acabam tendo um belo encontro com A Coisa, o que claro, a parte do belo foi apenas ironia.

Temos muitos personagens importantes, então vou falar só os apelidos deles pra vocês se localizarem ao longo da resenha: Richie engraçadinho (Richie Tozier), Bill Gago (Bill Denbrough), Eddie Hipocondríaco asmático (Eddie Kaspbrak), Stan é Stan, ou judeu, sem qualquer tipo de preconceito, é a característica mais marcante dele (Stanley Uris), Bevvie que é a corajosa (Beverly Marsh), O New Kid on the Block, Ben novato gordinho sensação da parada (Ben Hanscom), que preciso comentar, me lembrou muito o Dustin de Stranger Things e Mike pastor (Mike Hanlon). Além dessa “turminha da pesada”, bem like Sessão da Tarde, temos os bad guys mais velhos que perturbam as crianças e claro, Pennywise e seu circo de horrores.


A atuação do elenco mirim foi maravilhosa. Confesso que não olhei muita coisa sobre o filme antes de ir assistir, mas novamente fui surpreendida pelo Finn Wolfhard, que em Stranger Things interpreta o nerdzinho Mike. Em It ele está num papel bem diferente, mas ainda envolvido em coisas sobrenaturais, pobre Finn. Mas de modo geral, eu consegui sentir muito os personagens através dos atores, então tiro o chapéu para cada um separadamente. E ESSE PENNYWISE? Gente, eu quero fazer um cosplay versão feminina desse palhaço! O ator sueco Bill Skarsgård mandou muito bem. Onde está o diretor Andy Muschietti? É outro que preciso cumprimentar.

Eu tenho parado de comentar sobre a trilha sonora mas aqui eu preciso falar um pouquinho. New Kids on the Block, gente! E quem é o fã da banda? Ele mesmo, o Novato Gordinho Sensação (é, eu sei que falei isso antes, mas vamos apenas ignorar minha tentativa de mistério, eu não sou Stephen King). As duas cenas que a banda é citada garantem ótimas risadas. Sim, isso mesmo, risadas! Mas eu vou chegar nisso no próximo parágrafo.

É o filme de terror mais aterrorizantemente mais engraçado que já vi na vida. Não se engane, o bicho dá medo, daqueles de gritar mesmo – ou eu só sou muito medrosa mesmo -, mas a sacada do roteirista foi colocar umas pitadas de comédia pra dar uma quebrada e o espectador dizer “Tô rindo mas é de nervoso”. Acreditem, eu estou me segurando muito aqui pra não contar nenhuma dessas cenas de comédia ou de susto. Eu lembrei um pouco de Stranger Things, mas talvez por causa dessa coisa do desconhecido, sem contar as associações causadas por Finn e pelo personagem Ben. E sabem quem o Pennywise me lembrou? Conde Klaus, de Desventuras em Série! Tá tudo interligado, minha gente.

Ao contrário do filme anterior, este se passa totalmente na infância dos protagonistas, o que reforça a ideia de uma continuação para o longa, coisa que eu espero que não demore 27 anos pra acontecer, apesar de ser um marketing muito bom. Outra coisinha muito interessante (que eu precisei pensar muito se colocaria aqui ou não) são os adultos. Os poucos que aparecem, pais das crianças, agem de forma muito estranha, como se soubessem de alguma coisa. A mãe do hipocondríaco asmático é a que dá a maior deixa, quando ele quer sair pra ajudar os coleguinhas e ela diz que ele não deve fazer aquilo, gente, tem muito caroço de azeitona nesse angu, eu to dizendo, por favor reparem nisso!

Os pontos fortes para mim foram, sem dúvida, os sustos! Eu sou apaixonada por filmes de terror e há muito tempo não via um que não me deixasse scared as hell. Eu realmente tomei sustos muito grandes e quase gritei em um deles. Alguns devem se borrar, não sei não. A forma como os medos são apresentados e como eles atingem os personagens aos poucos também é simplesmente incrível!! Alguém dá um prêmio pra esse filme, por favor?! To apaixonada? Talvez.

Claro que filme perfeito não existe, então aqui vão o que considerei os pontos fracos de It: O palavreado demasiadamente exagerado de Richie. Gente, esse engraçadinho tem uma língua muito suja, lavem isso com sabão! Sério, é cada coisa que sai, principalmente no começo do filme que eu fiquei meio de cara. O que está acontecendo com essas crianças de hoje em dia? Ou de antigamente, considerando que esse filme provavelmente se passa lá pros anos 80. E por que o gordinho sempre é o que tem que se dar mal? Que dó do Ben, gente, se ferrou 90% do filme!

E se você vive numa bolha e nunca ouviu falar de It, por favor, tirem as crianças da sala do cinema!!! Não é porque tem palhaço que o troço é legal, é um palhaço do mal! Além do palavreado digamos escroto, tem sustos (mesmo?), violência explícita, mutilação, muito sangue e outras cenas perturbadoras. O mesmo alerta serve para os de estômago fraco e com algumas fobias, já que fobia é coisa séria.

Sabe outra coisa que temos? Uma referência à pedofilia e abuso. Sim, senhores. Isso aqui pode até ser um spoiler, mas é um aviso para algumas pessoas que podem vir a achar o filme horrível por conter uma coisa dessas. Amig@s, o filme retrata, em muitos pontos, nada mais que a verdade, e temos um personagem que sofre das coisas citadas aí, mas que vence isso e dá a volta por cima, se serve de consolo.

Depois de assistir It, fiquei com muita vontade de ler a obra original, de 1000+ páginas, mas estou sentindo que vale a pena, deve ser um livrão da P%&*@! Se a história tiver uma continuação (o que eu suspeito que tem), eu preciso pra ontem!!! Se usasse o sistema de notas aqui no UCP, o filme conquistaria 4.5 estrelinhas de 5. E você não precisa esperar muito pra assistir! It estreia HOJE nos cinemas brasileiros.

“All float down here. When you’re down here with us, you’ll float too!”

Curiosidades:

O palhaço Pennywise acorda a casa 27 anos. Em 2017 fez 27 anos desde o lançamento da primeira adaptação.

May the Force be with you. That’s all, Folks!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Autora

Prazer, Bianca “Bia” Caroline, tenho 21 anos, sou Carioca e estudante de Biblioteconomia (e jornalismo nas horas vagas). Por aqui vocês vão ver algumas resenhas e dicas de coisas que eu gosto, como filmes, séries, livros, música e um pouquinho sobre mim, além de alguns posts especiais feitos com muito amor para todos os públicos.

Redes Sociais UCP
Skoob
Blogagens Coletivas
Desafios