A Forma da Água (2018)

Título: A Forma da Água | Lançamento: Fevereiro/2018 | Produtora(s): TSG Entertainment e Double Dare You Productions | Distribuidora(s): Fox Pictures | Diretor: Guilhermo del Toro | Elenco principal: Sally Hawkins, Michael Shannon, Richard Jenkins, Octavia Spencer, Michael Stuhlbarg, Doug Jones, David Hewlett e Nick Searcy  

 

[AdoroCinema // Rotten Tomatoes]

Década de 60. Em meio aos grandes conflitos políticos e transformações sociais dos Estados Unidos da Guerra Fria, a muda Elisa (Sally Hawkins), zeladora em um laboratório experimental secreto do governo, se afeiçoa a uma criatura fantástica mantida presa e maltratada no local. Para executar um arriscado e apaixonado resgate ela recorre ao melhor amigo Giles (Richard Jenkins) e à colega de turno Zelda (Octavia Spencer).

O filme começa de maneira simples, apresentando aos espectadores a pacata rotina de Elisa Esposito (Sally Hawkins), uma mulher muda que trabalha como zeladora em um laboratório do governo. Certo dia, durante o turno com sua amiga Zelda, ambas são chamadas para limpar uma das salas que está coberta de sangue. Lá, Elisa conhece um anfíbio humanoide que está sendo estudado e maltratado. Aos poucos, a mulher começa a se comunicar com a criatura, afeiçoando-se a ele, o que a envolve numa tensa missão de resgate.

Como esperado de Guilhermo del Toro, a trama de A Forma da Água prende o espectador do início ao fim, e nos apresenta personagens peculiarmente incríveis, como a própria protagonista muda, que por toda a trama, se comunica através da linguagem de sinais americana. Porém, a personagem que realmente prendeu minha atenção e me conquistou fácil foi Zelda, vivida pela incrível Octavia Spencer que esbanja carisma e cenas realmente engraçadas, sendo assim o núcleo cômico do filme.

Outro ator já bem conhecido por dar vida a personagens exóticos é Doug Jones, que aqui interpreta o anfíbio, mas em sua carteira constam nomes como O Labirinto do Fauno e Hellboy (marque este nome!). Novamente, sua caracterização está impecável.

Outra coisa maravilhosa e que merece destaque é a trilha sonora, composta por Alexandre Desplat, além de trazer também algumas músicas bem de época. A que mais chamou minha atenção, porém, foi ouvir a voz da querida Carmen Miranda com a célebre Chica Chica Boom Chic.

Os pontos positivos que eu gostaria de destacar além da trilha sonora são a ambientação e a maquiagem (esta digna de Oscar!). Já como pontos negativos, gostaria de chamar sua atenção para o final extremamente previsível e algumas cenas meio sem sentido que pareciam ter sido enfiadas só pro filme ter mais alguns minutos, já que elas realmente não eram necessárias.

A Forma da Água foi indicado para nada menos que treze Oscars, dentre eles, os principais prêmios da noite, “Melhor Filme”, “Melhor Direção” por Guilhermo del Toro, “Melhor Atriz” por Sally Hawkins, “Melhor Atriz Coadjuvante” com Octavia Spencer e “Melhor Ator Coadjuvante” com Richard Jenkins. Quantas estatuetas o longa leva para casa? Façam suas apostas!

Um filme que exalta os diferentes e “renegados”, mas em minha humilde opinião, existem tantos outros bons e fortes concorrentes às nomeações do Oscar. Como dito por uma amiga, “É um conto de fadas para adultos”. Antes de finalizar, preciso plantar uma dúvida na mente de vocês: Seria A Forma da Água um prelúdio de Hellboy, contando a história de Abe Sapien?

May the Force be with you. That’s all, Folks!
Not a portuguese speaker? Go to the next page!
SOON

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Autora

Prazer, Bianca “Bia” Caroline, tenho 22 anos, sou Carioca e estudante de Biblioteconomia (e jornalismo nas horas vagas). Por aqui vocês vão ver algumas resenhas e dicas de coisas que eu gosto, como filmes, séries, livros, música e um pouquinho sobre mim, além de alguns posts especiais feitos com muito amor para todos os públicos.

Skoob